segunda-feira, 2 de janeiro de 2017

Ano Novo

Esse foi o primeiro, em muitos anos, que passei o réveillon na minha cidade – onde nada acontece. Desde os meus 20 e poucos anos que sempre viajo com amigos e comemoro a virada do ano com muita festa! Mas, por ter caído de sábado para domingo, ficou impossível viajar, já que trabalho no comércio. Então, decidi ficar em casa e passar com a família. Muitos amigos estavam pirando com essa possibilidade, mas eu, sinceramente, não me importei nem um pouco. Estava até gostando da ideia de um ano novo mais tranqüilo.

Para não ficar desanimado, eu e minha prima tentamos agitar uma bagunça! Combinamos com alguns tios e primos, meu pai e minha madrasta, que também ficaram na cidade, de irmos todos para a casa da minha avó. Definimos o jantar (nada de ave, que cisca pra trás), planejamos a decoração, com balões, flores e pisca-pisca, pensamos em brincadeiras e orações, providenciamos uma caixa de som e pensamos na playlist.

Passamos o dia na piscina e, no final da tarde, começamos a organizar tudo. Enchemos as bolas, bebida no gelo, flores na jarra e lombo no forno. Assim que terminamos de arrumar tudo no quintal - ano novo tem que ser ao ar livre, onde circulam as boas energias - começou a cair um toró. Calma, vai passar. Fui ver se o lombo estava bom e vi que o gás tinha acabado. SOCORRO, UMA BARATA! Por causa da chuva, o pisca-pisca parou de funcionar. A caixa de som não conectava no meu telefone e o do meu pai não tinha internet. Na confusão, esqueci de tomar meu banho de sal grosso, reservado especialmente para este dia.

Pessimistas diriam que deu tudo errado. Eu, que tenho tentado sempre ver o lado bom das coisas e exercitado cada dia mais meu pensamento positivo, digo que foi como tinha que ser. A vida é assim mesmo! Imprevisível, por mais que a gente tente planejar. E, no final das contas, foi ótimo! A chuva passou, a família estava reunida, comida farta na mesa, muita cerveja e a companhia da minha prima e melhor amiga, com quem sempre aprendo tanto.

E ontem, no primeiro dia do ano, enquanto eu esperava eles chegarem para o churrasco, dentro de uma piscina fresquinha, com um céu azul maravilhoso bem acima da minha cabeça, mentalizei algumas coisas que desejo para o novo ano: Paz. Amor. Simplicidade. Fé. Gratidão. Humildade. Generosidade. Tranqüilidade. Otimismo. Felicidade. Natureza. Amizade. Parceria. Aprendizado. Realização. Conhecimento. Autoconhecimento. Serenidade. Perdão. Caminhos. Flores. Calma. Discernimento. Surpresas. Encontros. Viver verdadeiramente! E sei que muito disso depende quase que exclusivamente de mim!

Quando abri os olhos, vi meu pai acendendo a churrasqueira e dançando ao som de novos baianos, e pensei: é simples ser feliz!

“Vou mostrando como sou
E vou sendo como posso
Jogando meu corpo no mundo
Andando por todos os cantos
E pela lei natural dos encontros
Eu deixo e recebo um tanto.”

Um comentário:

  1. Nossa, só li hoje esse texto! Só amor e admiração por você, Piu!!

    ResponderExcluir